fbpx

6 dicas para montar um design de interiores sustentável

No dia mundial do Meio Ambiente a Escola Pró-Arte separou algumas dicas para um Design de interiores sustentável.

Socialmente justo, economicamente viável, ambientalmente correto. O conceito de sustentabilidade já pode estar presente no seu projeto de design de interiores. Mas como transformá-lo na prática?

Utilizar os princípios da sustentabilidade à criação artística, priorizando o fator ambiental no ciclo de desenvolvimento do produto e reduzindo seu impacto na natureza são desafios para quem busca decorar um novo espaço sem causar impactos negativos ao meio ambiente. Além disso, é preciso considerar os elementos estéticos, funcionais e de segurança.

Confira algumas dicas que podem ajudar a conciliar a sustentabilidade com a transformação de ambientes.

1. Materiais de baixo impacto ambiental para o seu projeto de design de interiores

Estão disponíveis no mercado diversos materiais projetados para gerar menos impactos ao meio ambiente e com ampla aplicação no design de interiores, especialmente se tratando de revestimentos e mobiliário. Madeira certificada ou reflorestada, madeira de demolição, materiais de revestimentos certificados e renováveis, fibras naturais, são apenas alguns dos exemplos.

No entanto, a avaliação desses materiais deve ser criteriosa e levar em conta não apenas o rótulo do produto, mas o processo de produção ambientalmente correto. Neste sentido, é importante considerar que se trata de um recurso renovável, se o processo de instalação e manutenção gera resíduo, se a logística de distribuição do produto consome muita energia e se possui algum tipo de certificação. 

2. Busque eficiência energética

A adequação da iluminação e o conforto térmico são itens imprescindíveis para tornar um ambiente agradável. Mas como trabalhar os fatores naturais a favor de proporcionar um espaço mais confortável? Aproveitamento da luz e ventilação natural, utilização de equipamentos com gasto reduzido de energia são apenas alguns exemplos. Investir em energia eólica ou solar também podem gerar inúmeros impactos positivos, no entanto, exigem mais investimento.

Embora o selo não esteja valendo para edificações, o PROCEL já possui um selo para eletrodomésticos que comprovam a eficiência energética do mesmo. Investir em produtos com essa característica também é um diferencial.

3. Qualidade e durabilidade

A qualidade e a durabilidade são questões bem sensíveis quando estamos falando de design de interiores. Isso porque, muitos materiais provenientes de reaproveitamento e reutilização podem não apresentar a durabilidade e a qualidade necessária para substituir um mobiliário, por exemplo.

Para esses casos, vale investir em acabamento ou mesmo revestimento, fazendo com que esses materiais fiquem aptos para a decoração. Existem muitas técnicas no mercado, como a pintura em laca para móveis, por exemplo, capaz de dar resistência a madeiras e outros móveis usados. 

4. Reutilização e reaproveitamento

Caixotes que se transformaram em charmosas estantes e nichos. Pallets que agora servem de estrutura para um aconchegante futon. Pneus reaproveitados como pufe. A criatividade é o que rege quando o tema é reutilização e reaproveitamento para o design de interiores. Cada dia mais novas ideias estão surgindo com o objetivo de reaproveitar e reutilizar materiais que tinham como destino certo o descarte. Uma pintura adequada e um acabamento caprichado permite que esses materiais recriem o ambiente, agregando mínimo impacto ambiental e máximo de versatilidade.

5. Eficiência na utilização da água 

A água é um recurso finito e que vem ganhando destaque na mídia. Poupar é necessário e usar com consciência é fundamental. Existem vários recursos aplicáveis ao design de interiores voltados a evitar o desperdício de água. A torneira ecológica, que reduz em 60% o desperdício de água é um dos exemplos, que pode ser amplamente aplicado. 

6. Paisagismo funcional 

Diversos estudos no mundo já concluíram que o convívio com plantas proporciona uma vida mais tranquila e saudável além de diminuir os níveis de stress. O paisagismo aplicado ao design de interiores, além de transformar o ambiente em um espaço de prazer, contribui para os fluxos de carbono do planeta. Outra ideia, é utilizar o paisagismo funcional como hortas que tanto decoram como dão mais sabor à cozinha.

 

Técnico em Design de Interiores

 

Matéria retirada do site: www.radoarquitetura.com.br

junho 5, 2018
Escola Pró-Arte© 1981 - 2019
X